Firuriruriu, Brasil!

Imagem

Anúncios

Mutações e Adaptações: A fluidez da existência!

O mundo é feito de mutações! A vida, de adaptações!

Percebem quão intrínsecas e dependentes são estas conclusões?

Na verdade, a adaptação nada mais é do que uma forma de mudança ou uma reação à mudança! Assim, conforme o todo está movendo-se em um fluxo fluido, é fundamental que estejamos em harmonia, permitindo que as correntezas nos levem e que nossas mentes sejam tão flexíveis quando uma folha que se deixa cair do galho. Ser flexível e adaptar-se a mudanças não significa abandonar preceitos morais e éticos, princípios e crenças!

Creio piamente nesses conceitos de flexibilização e potencialização da nossa capacidade de adaptar-nos em harmonia com as mutações da existência! Nenhuma adaptação pode ser considerada finda, vez que as mudanças são frequentes e infinitas. Assim, toda adaptação é um fluido que deve serpentear ao sabor das águas e dos ventos, sem nunca estagnar.

A teoria é tão simples, não?!

A prática diverge da essencialidade simplista! Aprender a harmonizar nossa mente e nossa energia com toda essa constante renovação é um trabalho árduo, ainda mais quando somos tão resistentes a mudanças, que, por vezes, nos provocam a sair de uma posição cômoda e agradável, de um momento de felicidade e plenitude que desejamos seja eterno! Bem sei e sei melhor do que podem imaginar, pois sou apegada o suficiente a pedacinhos do meu passado que no passado ficaram e que não posso trazer para meu hoje ou para o meu futuro!

Sabem a conseqüência da resistência à mudança, à adaptação? Sofrimento! Depressão! Desânimo! Bem sei e é contra isso que luto todos os dias, ou melhor dizendo, conforme novos conhecimentos adentram em minha mente, venho tentando não lutar contra as modificações, quero ser um fio d’água a correr conforme corre o mundo!

Prender-nos à rigidez de únicas verdades e possibilidades é contrário à harmonia da vida e da evolução, especialmente a psicológica e espiritual!

É importante e fundamental que sejamos o vento a soprar por todos os cantos, contornando cada estrutura e seguindo seu caminho; que sejamos as águas a percorrerem o mundo, desviando, caindo, seguindo; que sejamos o peixe nadando com a corrente, não contra ela, ou o pássaro voando com as brisas a seu favor.

Aceitar adaptações não significa não lutar pelo que se acredita, não significar ir contra as próprias motivações, é saber utilizar as mudanças e movimentos em prol de cada motivo, cada acreditar, cada lutar, cada respirar e cada viver!

Acredito, então, em duas palavras-chaves à vida e ao caminho para a felicidade, pois implicam na harmonia do nosso ser com o todo, são elas: Mutação e Adaptação!

Mutações e Inconstâncias

O mundo é tão mutável, tão averso ao simples girar de uma roda gigante! Tão amante do fluir veloz da correnteza de um rio tortuoso!

Vejo a magia da mutação em cada esquina. O príncipe vira sapo e o sapo vira príncipe. O alimento vira restos e os restos, alimento. O ogro desencanta-se e o encantado torna-se ogro. Um sorriso converge para um lamento e o lamento, para um sorriso.

Nada é estático, nada é o que é, tampouco o que parece ser!

Neste contexto de inconstâncias, como hei de proceder, se as mudanças e descobertas estão em desarmonia com o meu ser, que se transformou no sentido oposto?!

Não falemos dos males

Um dos maiores males que afligem as pessoas é o erro que cometem consigo mesmas.

As pessoas tendem a elevar os pontos negativos de suas vidas e a vendar-se quanto às coisas boas que tornam seus dias mais belos. Quando aprenderem o valor de um raio de sol, de um sorriso, da sorte que lhes agracia, pode ser tarde demais!

Se não reclamo a torto e direito dos meus problemas, é por um simples motivo: Não vou deixar que os males guiem meus passos, meus segundos, minha vida!

As lágrimas e preocupações cabem a mim e a mais ninguém! Se falasse sobre eles e apenas sobre eles, estaria dando forças ao que há de pior na vida!

Pa-Kua

O Pa-kua (“Oito Mutações”) é um milenar conhecimento chinês representado pelo Ba-gua, qual seja o símbolo do Yin e do Yang circundado pelos oito trigramas que representam as energias que influenciam todas as mudanças.

O I Ching, o livro das mutações, é um dos grandes alicerces para essa densa filosofia, segundo a qual inexiste um estado definitivo e permanente, ou seja, tudo está em constante mudança. O discernimento é a difícil tarefa que implica compreender as energias e conhecer a melhor forma de trabalhá-las, os melhores caminhos a serem tomados, as melhores escolhas a serem feitas, a fim de que as mudanças sejam benéficas e harmônicas.

O Pa-kua foi amplamente difundido no mundo, sendo aplicado, por exemplo, nos princípios do Feng Shui e em estilos de Kung Fu, tendo em vista que alguns mestres desta arte aprenderam o denominado Pa-kua Chuang.

Com o anseio de difundir ao ocidente o antigo conhecimento chinês, o Mestre Rogelio I. M. Giordano Magliacano, em 1976, criou métodos para tornarem mais didática a transmissão dos conhecimentos, adotando o uso de faixas de graduação que representam as oito mutações.

O ensino adotado na Liga Internacional do Pa-kua foi dividido, pelo Mestre Magliacano, em disciplinas, representando diferentes caminho de se adquirir o conhecimento do Pa-kua. Desta forma, temos:

  • Arte Marcial;
  • Armas de Corte;
  • Acrobacia;
  • Tai Chi;
  • Reflexologia;
  • Ritmo;
  • Yoga Chinesa;
  • Energia.

Feita esta breve, e superficial, introdução. Prossigamos.

Desde janeiro/2011, orientada pelo Mestre Daymont, terceiro grau, sou aprendiz de Pa-kua Marcial.

O Mestre Daymont está inaugurando sua própria escola de Pa-kua, no Município de Curitiba – Paraná, a qual está instalada Rua Dr Carlos de Paula Soares 446, loja 3, no Bairro Mercês.

Convidamos todos para conhecerem a nova escola e praticar conosco. Para maiores informações, podem entrar em contato com o Mestre Daymont pelo celular (41) 9148 4628.