O Fantasma da Ópera

Se me perguntarem qual meu filme predileto, aquele que faz meu coração palpitar, inebria minha mente, instiga meus sonhos e assim por diante, não haverá hesitação ou segundos para averiguações. “O Fantasma da Ópera” (The Phantom of the Opera) é, sem dúvida nenhuma, o que melhor se enquadra nesta ideia, sua história atiça-me e suas músicas emocionam-me, levam-me a cantar e a sentir algo que simples palavras não são capazes de expressar! Cada nota e cada palavra levam meu coração a um bater diferenciado!

A versão que me apraz, tanto pela produção quanto pela interpretação musical, e especialmente por este quesito, é a de 2004 (http://www.imdb.com/title/tt0293508/)! Sem dúvidas!

Admito, neste momento, que não havia encontrado outras versões das melodias que me levassem ao mesmo nível de êxtase,  ou que me agradassem! Isso mudou hoje, pois Lindsey Stirling surpreendeu-me novamente! Sua releitura e compilação dos temas de “O Fantasma da Ópera” ficou simplesmente incrível!

É claro, ainda não reflete em mim o mesmo efeito que encontro nas trilhas originais do filme, mas não perde o brilho e não deixa a desejar!

 

 

Anúncios

Lindsey Stirling & Peter Hollens

Sou incapaz de me encantar com algo e não querer partilhar com vocês, meus queridos leitores!

Hoje, após assistir uma série de vídeos da Lindsey Stirling e ser ainda mais cativada pelo seu lindo trabalho, resolvi postar mais um! E, devo admitir, foi uma tarefa árdua, porque eu simplesmente queria que vocês vissem TODOS!

Além disso, recordam-se que, no post anterior, apresentei-lhes o tema do jogo Skyrim interpretado por Lindsey e Peter Hollens?! Well, também andei vasculhando os trabalhos dele, especialmente em seu canal no youtube (http://www.youtube.com/user/peterhollens) e selecionei dos vídeos para que vocês possam regozijar como eu!

Apaixonem-se! Encantem-se! Invejem!

 

Lindsey Stirling

AH INVEJA! Sou uma invejosa nata, especialmente quando o assunto em pauta é a arte! Quando a arte se expressa pela música e pela ilustração, nem se diga!

Hoje, descobri um novo objeto para minha inveja saudável e quase deprimente. Seu nome é Lindsey Stirling, uma violinista, dançarina e compositora que foi revelada ao mundo em 2010! É o que descobri em uma breve leitura pelo Wikipédia!

Abaixo, segue um dos muitos vídeos postados no canal do youtube da Lindsey Stirling. Espero que gostem do trabalho dela tanto quanto eu gostei! Espetacular e lindo!

Samba em prelúdio

A delicadeza desta música arrepia-me desde a primeira vez em que me deleitei com seus sons e com o valor das palavras tão preciosamente unidas, muitos anos atrás, quando eu não passava de uma criança.

Vinicius de Moraes não foi simplesmente um músico, tampouco simplesmente um poeta, ou um poeta-músico. Ele transcendeu em cada uma de suas composições a magia possível de ser alcançada por ser-humano, não há palavras para descrever o que ele foi capaz de tornar “palpável”.

Não deixarei de mencionar, igualmente, a suave arte de Baden Powell, cujos dedilhados deram curvas envolventes para esta música.

 

Samba em Prelúdio

Eu sem você não tenho porquê

Porque sem você não sei nem chorar

Sou chama sem luz, jardim sem luar

Luar sem amor, amor sem se dar

Eu sem você sou só desamor

Um barco sem mar, um campo sem flor

Tristeza que vai, tristeza que vem

Sem você, meu amor, eu não sou ninguém

Ah, que saudade

Que vontade de ver renascer nossa vida

Volta, querida

Os meus braços precisam dos teus

Teus braços precisam dos meus

Estou tão sozinho

Tenho os olhos cansados de olhar para o além

Vem ver a vida

Sem você, meu amor, eu não sou ninguém

Sem você, meu amor, eu não sou ninguém



Mais do que uma inspiração…

A música é um presente dos deuses, que generosamente nos concederam sentidos para percebê-la e sensibilidade para amá-la.

A música inspira-nos à vida, é antagônica e harmônica, bela em sua pureza e em sua verdade! É divina e encantadora, violentamente delicada e alegremente taciturna!

As palavras com que fomos agraciados são demasiado pequenas e frias para descrevê-la e às sensações com que nos contagia. A música reflete-se em nosso ser, vibra em nossa alma e transmite-nos a grandiosidade das dádivas.

É deprimente não poder senti-la, não poder fazê-la, não poder interpretá-la.

Sente-se em um recanto escuro ou com as vistas voltadas a uma linda paisagem, ouça com tranquilidade uma boa composição, sinta-se leve tal qual uma pluma e deixe seus pensamentos flutuarem ao vento.