Revolta!

O tempo nos atropela e, em um piscar de olhos, descobrimos que semanas passaram, meses correram e anos escorreram por entre nossos dedos! Estou atrasada, reconheço! Entretanto, não hei de deter-lhes a atenção, hoje, sobre devaneios acerca da relatividade do tempo ou de como vivemos a vida sem senti-la passar!

O tema hoje: ‘Revolta!’. Não revolta, mas ‘Revolta!’.

Vamos colocar os pingos nos “is” e as exclamações em seus devidos lugares!

Cartaz da HQ 'Revolta!' de André Caliman.

Cartaz da HQ ‘Revolta!’ de André Caliman.

Revolta!’ é uma história em quadrinhos, cujos capítulos estão sendo publicados mensalmente na página http://revoltahq.blogspot.com.br! O roteiro e o desenho de ‘Revolta!’são de André Caliman, um quadrinista de gabarito que, para minha sorte, leciona o curso de HQ’s da Gibiteca de Curitiba!

Pensei em um zilhão de formas para tratar sobre esta HQ e trazer-lhes uma pitada de suas abordagens. Entretanto, minhas tentativas foram medíocres, açoitavam as verdadeiras pretensões e não faziam jus ao que promete essa história!

Um “Caramba!” bem entoado seria uma ótima definição para ‘Revolta!’. Ao menos, foi algo assim que pronunciei no dia 17 de novembro de 2012, no lançamento dessa HQ, quando li, pela segunda ou terceira vez, as oito páginas do primeiro capítulo! E foi algo assim que soou em minha mente quando li o segundo capítulo, alguns minutos atrás!

O roteiro é ótimo e intrigante, dotado daquele tempero que poucos conhecem e sabem usar, que nos faz ficar presos e ansiosos por mais! Estou faminta, com vontade de devorar novas ilustrações e tragar novos balões, novas páginas!

Revolta!’. Leio, acompanho, devoro! Sugiro e indico!

O primeiro passo, acessar o http://revoltahq.blogspot.com.br e prestigiar o André!

O segundo passo, descobrir-se enredado na intrincada teia de ‘Revolta!

Conheçam um pouco mais do trabalho de André Caliman em http://andrecaliman.blogspot.com.br/ .

Anúncios

O Fantasma da Ópera

Se me perguntarem qual meu filme predileto, aquele que faz meu coração palpitar, inebria minha mente, instiga meus sonhos e assim por diante, não haverá hesitação ou segundos para averiguações. “O Fantasma da Ópera” (The Phantom of the Opera) é, sem dúvida nenhuma, o que melhor se enquadra nesta ideia, sua história atiça-me e suas músicas emocionam-me, levam-me a cantar e a sentir algo que simples palavras não são capazes de expressar! Cada nota e cada palavra levam meu coração a um bater diferenciado!

A versão que me apraz, tanto pela produção quanto pela interpretação musical, e especialmente por este quesito, é a de 2004 (http://www.imdb.com/title/tt0293508/)! Sem dúvidas!

Admito, neste momento, que não havia encontrado outras versões das melodias que me levassem ao mesmo nível de êxtase,  ou que me agradassem! Isso mudou hoje, pois Lindsey Stirling surpreendeu-me novamente! Sua releitura e compilação dos temas de “O Fantasma da Ópera” ficou simplesmente incrível!

É claro, ainda não reflete em mim o mesmo efeito que encontro nas trilhas originais do filme, mas não perde o brilho e não deixa a desejar!

 

 

Grupo Epopeia

Sob um cálido sol e um calor inabitual saí de casa, rumo à Gibiteca de Curitiba, onde tenho gozado de saborosas aulas de histórias em quadrinhos!

A mente, mais perdida do que cego em tiroteio, esqueceu-se de reservar alguns tostões para pagar o curso em questão.

EI! ESPERE! Não pare de ler agora, considero que chegar ao cerne exige um caminhar pelo introito que, aparentemente, não tem nada a ver com o Grupo Epopeia! Então, seja paciente e prossiga com um sorriso na face!

Desviei meu caminho para sacar o dinheiro e pagar o curso de HQ e, como pessoa precavida, não saquei um centavo a mais do que precisava para quitar a mensalidade! Pois vejam, estou prestes a chegar ao ponto!

Estava eu caminhando pela Rua XV, pensando em mil ideias que tive sobre rumos para um de meus livros, quando um rapaz intercepta meus passos e minhas divagações. Ele (Cristiano) é integrante do Grupo Epopeia e contou-me brevemente sobre os 16 anos deste grupo de poetas que divulga seus trabalhos no boca-a-boca, distribuindo cadernos de poesia em troca de uma colaboração voluntária.

Encantada com a iniciativa, com a beleza dos desenhos e com algumas poucas palavras que li durante a conversa, aceitei o caderno de poesias e abri a carteira para dar-lhe minha colaboração. Neste momento fatídico, esta que vos fala e que foi uma completa idiota, descobre que, além do dinheiro para pagar o curso, tem apenas uma meia dúzia de trocados.

Ainda calculo o que fere mais, o fato de ter aceitado ficar com essa obra de arte por tão pouco, porque tive medo de nunca mais vê-los por ali (pois nunca os havia visto, apesar de seus 16 anos por aquelas bandas), ou a feição de frustração e decepção do jovem poeta. Admito que o peso é um insulto para minha alma, pois como amante das artes, pude sentir o que ele sentiu e, além disso, senti-me como uma dentre os muitos que não dão valor à beleza das artes e dos esforços daqueles que as praticam.

Este post, pois, possui dois intentos.

O primeiro. Caso algum dia o Cristiano, ou qualquer outro integrante do Grupo Epopeia, acabe se perdendo neste blog, peço minhas sinceras desculpas e espero, de coração, que possam perdoar-me a ofensa.

O segundo. Divulgar a beleza e a graça do trabalho que hoje conheci! Fui cativada e enlaçada pelas palavras e ilustrações contornadas nas 18 páginas! Para conhecerem mais sobre essa minha nova sugestão, podem dar uma banda pela Rua XV e torcer para encontrar algum dos integrantes do Grupo Epopeia ou podem acessar a página: http://grupoepopeia.blogspot.com.br/.

Castle

Existe uma dezena de seriados policiais, dedicados à abordagem de investigações criminais, especialmente homicídios! Fato! Algumas alcançam um nível de detalhamento e técnica que nos cativam, pontas bem presas, argumentos válidos, roteiro caprichado, convincentes! Outras, a meu ver, deixam bastante a desejar e não me convencem, enredo fraco!

A título de exemplo. Enquadro, no primeiro conceito, “CSI: Crime Scene Investigation“, “Cold Case” e “Law and Order“. No segundo conceito, “Bones“, ao menos foi minha impressão no primeiro episódio da primeira temporada (e, sinceramente, não me sinto tendida a assistir a outros episódios desta série).

Há poucos dias, contudo, descobri que a tragicidade inerente aos seriados policiais não anula a possibilidade de combinar as circunstâncias com uma boa comédia, e não falo de humor negro (a propósito, tenho asco a humor negro!)!

Essa descoberta tornou-me uma alucinada viciada nos episódios de “Castle“, seriado que sugiro a todos como ótimo! Imagine, pois, um escritor de best-sellers policiais, afetado por senso de humor natural e carismático, com contatos em todo o tipo de universo e que, após auxiliar a polícia na investigação de assassinatos inspirados em seus livros, decide participar mais ativamente de investigações para encontrar inspiração! O resultado é excepcional, com um bom enredo e ótimas tiradas, é um seriado policial que vale muito a pena!

A título de informação, “Castle” é um seriado iniciado em 2009 e, em maio de 2012, iniciou-se a quinta temporada!

Lindsey Stirling & Peter Hollens

Sou incapaz de me encantar com algo e não querer partilhar com vocês, meus queridos leitores!

Hoje, após assistir uma série de vídeos da Lindsey Stirling e ser ainda mais cativada pelo seu lindo trabalho, resolvi postar mais um! E, devo admitir, foi uma tarefa árdua, porque eu simplesmente queria que vocês vissem TODOS!

Além disso, recordam-se que, no post anterior, apresentei-lhes o tema do jogo Skyrim interpretado por Lindsey e Peter Hollens?! Well, também andei vasculhando os trabalhos dele, especialmente em seu canal no youtube (http://www.youtube.com/user/peterhollens) e selecionei dos vídeos para que vocês possam regozijar como eu!

Apaixonem-se! Encantem-se! Invejem!