Chuva de Granizo

As pesadas nuvens correram em meu encalço, salvei-me em tempo recorde! Fiquei abrigada a observar os trovões e pingos grossos rastejarem por sobre os prédios de Curitiba!

Olha! Oh Deus, será granito que cai do céu? Ufa, não! É granizo!

Oh, mas não é bom! As janelas vibram e gritam conforme as pedras de gelo golpeiam sua superfície! Oh Deus! O caos, o fim do mundo? Não, nada mais do que chuva de granizo! Que barulheira, que ribombar agudo!

As pessoas sumiram das ruas, uma hora se passou e tudo ainda e escuridão! Ouço aqui e acolá as pedrinhas salpicarem os vidros! Ao longe está o clangor dos trovões!

Que horror! A noite em pleno dia! As torres dos prédios são tão frias entre as nuvens, os carros tão mortos (não ouço nenhum passar!).

Eis aí uma tremenda chuva de granizo nesta Curitiba que, hoje, nasceu ensolarada!

Anúncios

Conversa sobre ET’s

Pergunta simples e rápida: você acredita em extraterrestres?

Ouvi dezenas de vezes pessoas afirmando veementemente que não há vida fora da Terra, isso sob a guarida de uma série de argumentos, desde religiosos até científicos, como que Deus houve se restringido a incutir vida apenas nesta esfera de terra, água e algo mais ou que a vida seria improvável e impossível em outros planetas, fadados a serem inóspitos por possuírem características tão diversas das do nosso planeta.

Ora ora, convenhamos, essa convicção de que existe vida apenas na Terra é a mais pura cegueira e prepotência!

Um planeta pode ter condições desfavoráveis para abrigar vida terráquea ou similar. Mas pergunto, por que cargas d’água a existência de vida em outros planetas tem que se subordinar à forma e condições da Terra, que é um planeta qualquer perdido em algum lugar do universo?

Convenhamos que o universo, bem como o multiverso, são suficientemente infinitos para que nós sejamos a única coisa viva! Somos nadas no todo e, ainda assim, muitos de nós pensam que tudo gira lindamente em torno da humanidade.

Agora, quanto aos que crêem nessas vidas intergalácticas, levo-me a questionar algumas teorias de que os denominados ET’s querem invadir a Terra, por ser este um paraíso perdido, uma fonte de recursos, a última bolacha do pacote. Pelo amor do santo da síndrome do “meu umbigo é o centro do universo”, a Terra é o paraíso e repleta de recursos para a sobrevivência de seres como nós ou que vêm de planetas cujos recursos sejam similares a alguns dos nossos e, por isso, lhes seriam valiosos. Mas daí a defender que todos os extraterrestres do infinito vão convergir para a Terra, para nos destruir ou fazer de escravos e roubar os recursos, é um exagero!

Outro ponto é a humanidade dos ET’s. Perceberam que a maior parte das imagens de possíveis extraterrestres capturados ou apontados em filmes são fisicamente tão semelhantes a nós e, freqüentemente, também ambiciosos e destrutivos? Imagino uns tantos deles menos humanóides, alguns psicologicamente e espiritualmente mais parecidos conosco, outros menos, uns mais evoluídos outros menos.

Quanto a essa escravidão, se os ET’s chegarem a Terra, por óbvio estarão tecnologicamente muito avançados, o que significa que uma mão-de-obra desqualificada, fraca e ignorante como a nossa seria mais do que descartável.

Somos prepotentes demais para o bem ou para o mal. Primeiro, porque não estamos sozinhos no uni ou no multiverso. Segundo, porque a Terra e a vida que nela habita são a jóia mais valiosa para nós, não para toda e qualquer existência que possa haver no todo.

Aos extraterrestres que estão lendo este texto: Sim, eu acredito em vocês. Não, ainda não estou pronta para conhecê-los, deixem-me seguir com minha vida comum!