Lembranças…

Antes de ontem, quando subi no circular para voltar para casa, aconteceu algo que me emocionou, de certa forma, e me fez pensar na minha vida do ontem e do hoje, talvez, até na do amanhã.

Sol do meio da tarde era lindamente radiante, emanando uma luz intensa e agradável, embora bastante quente. Fiquei observando o céu, a luz que banhava as copas das árvores, as paredes de uma igreja e tudo o mais que havia no meu campo de visão.

Aquela intensidade da luz e aquele jeito específico que estava o dia, me fez lembrar dos meus tempos de crianças, quando eu chegava da escola, almoçava e depois ia brincar no terreno de casa, é um terreno de terra, bem arborizado e delicioso. Foi um tempo muito agradável, em que eu não tinha preocupações e vivia de brincadeiras, de subir em árvores e rolar na terra com os meus cachorros, me imundava e era difícil tirar a sujeira depois, mas era uma delícia. Por isso segunda foi um dia tão agradável para mim.

Hoje, tenho crises de stress, me preocupo em ficar de dependência em alguma matéria da faculdade e ao final só prejudico minha saúde mental e física. A responsabilidade é um fardo muito pesado. Penso como será depois que me formar e tiver que ganhar meu próprio pão, conseguir um emprego, competir como uma hiena em busca da carne conquistada por outros animais. Estava certo Hobbes quando disse que o homem é o lobo do homem. Até que ponto chegaremos, simplesmente para termos ascensão social e sermos bem quisto pelo que possuímos e não pelo que somos? Mas este é tema para outro texto.

Às vezes tenho vontade de regredir no tempo e voltar aos bons tempos de tardes ensolaradas e livres, de corais dos pássaros, das deliciosas sombras feitas pelas copas da árvores, formando desenhos tão lindo sobre a terra. Com o tempo nós perdemos o tempo e a delicadeza de perceber as maravilhas sobre a Terra e nosso vida torna-se monótona e sem graça.

Pergunto: Afinal, qual é a melhor época de nossa vida?

Na minha opinião, a infância, da inocência e do verdadeiro sentido de Carpe Diem.

2 respostas em “Lembranças…

  1. Saudades de outros tempos — mais próximos mas infinitamente mais belos e inalcançáveis! Tempos em que não nos julgávamos conhecer, em que não nos víamos como mais do que apenas somos, em que comungávamos da natureza e do seio da mãe em toda a sua plenitude.É triste pensar que muitos que agora vivem esse tempo saudoso o perdem antes de mesmo tê-lo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s